Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

27 Abr, 2021

Book Store #408

Don't you forget about me

twilight_pr

Don't You Forget About Me.jpg

Don't you forget about me - Autoria de Mhairi McFarlane.

Antes de mais nada, discuti isto com a Jules e tudo, mas não consigo dizer o nome do livro sem começar a cantar a música dos Simple Minds, porque é exatamente o que eles dizem - é impossível de conseguir fazê-lo, honestamente. Talvez também por ser a música do Breakfast Club (1985) e a música não me sair da cabeça por conta disso e também por ter sido referida até em Pitch Perfect (2012) também em alusão ao Breakfast Club.

A história conta-nos a vida de Georgina que se vê despedida de um dos piores restaurantes pontuados no TripAdvisor e pelos vistos com toda a razão. Nunca tinha visto uma forma tão má de trabalhar e em que a honestidade nunca está em cima da mesa. Por conta disso, vê-se oficialmente a ser despedida em frente de um crítico de comida exatamente por volta de profissionalismo dos seus colegas, chefes de cozinha. Georgina agora via-se sem emprego, mas continuava claramente pronta para continuar à procura e de conseguir enfrentar o problema mesmo de frente. 

Acontece que parece que a nossa protagonista está numa maré de azar e descobre de imediato o seu namorado na cama com outra pessoa, logo depois de terem avançado um passo na relação em que ele lhe dava e tudo a chave de casa do seu apartamento para ela nunca ter de esperar por ele para entrar. Pois, quando se achava que estava tudo bem e afinal não estava. Outch. Terminando uma relação que pelos vistos ela era a única pessoa que achava que estavam numa relação exclusiva, Georgina teria de começar do 0 - tanto pessoal como profissionalmente. 

Ela sabia o que queria fazer para o resto da sua vida. Ela queria escrever, sempre tinha gostado de escrever e sempre tinha sido aquilo que tinha feito, mas a verdade era que para poder lançar-se também teria de ter dinheiro e isso era algo que não crescia das árvores naturalmente. Dessa forma, Georgina tinha de trabalhar. A mãe achava constantemente de que ela precisava de assentar, não era estar quase nos 30 e ainda a brincar a fingir que anda de trabalho em trabalho porque não era nada estável para ela nem para ninguém. A mãe queria ver a filha estável e a sentir que ela tinha todo o seu futuro pronto para que a mais velha conseguisse partir em paz a sentir que a filha também estaria bem. Georgina sentia-se sempre pressionada, porque ela sabia o que realmente queria, mas não ajudava que a mãe estivesse sempre com o mesmo discurso assim com o estupor do padrasto dela.

A sorte dela veio para mudar quando lhe pediram ajuda para servir às mesas numa festa, algo que ela sempre tivera experiência. Ela disse que sim, porque o dinheiro realmente lhe fazia falta. Dessa forma, em menos de nada o amigo do amigo do colega acabou logo por simpatizar com ela e quando se apercebeu já tinha uma entrevista marcada para ser efetivamente trabalhadora naquele mesmo local e tudo de forma legal. Georgina estava finalmente a ver tudo a compor-se, porque ao menos iria continuar a ter dinheiro e a conseguir pagar as contas da casa.

Qual será o seu espanto quando se aperceber que a pessoa que lhe tinha contratado era o irmão do seu chefe? E que afinal ela conhecia realmente o chefe? E podia-se dizer que se conheciam até bem demais. Lucas tinha andando na escola com Georgina e eles tinham sido um love interest dos dois desde que tinham sido emparelhados para o trabalho da escola. No entanto, a coisa não se tinha dado e em menos de nada eles tinam seguido caminhos diferentes, mas parecia que as coisas estavam a mudar. Só que havia um problema. Parecia que Lucas não se lembrava de todo de Georgina nem dos tempos da escola. A desculpa era que naquele tempos as coisas acabaram por enevoadas e que na realidade ele nem se lembrava muito bem de todo o seu secundário e etc.

Uma bela desculpa na realidade, mas tinha soado tão convincente que ela tinha acreditado quando o confrontou em relação a se terem conhecido. No entanto, leiam mesmo o livro porque existe um motivo para esta desculpa.

As coisas foram-se dando naturalmente. Georgina queria apenas trabalhar e aproveitar exatamente o concurso de escrita de amadores que iria haver no bar para ela poder dar a conhecer a sua escrita. Era uma forma diferente e que ela podia também ver como é que o público poderia reagir mesmo à forma como ela escrevia. Antes mesmo de o irmão de Lucas lhe pedir para ficar porque se um trabalhador entrasse na competição era uma forma muito melhor de também os consumidores quererem também participar.

O livro é muito leve e agradou-me bastante na realidade. Gostei da forma como eles foram construindo quase como de raiz uma nova amizade e a forma como Lucas se preocupava com ela. Gostei dos amigos dela e de como eles a apoiavam, independentemente de quando ela estava a exagerar nos seus dramas. Temos aquele momento em que sentimos a toxicidade de uma relação quando de repente o ex-namorado de Georgina continua atrás dela apenas pelo sentimento de "ninguém acaba comigo, sou que acabo uma relação" porque realmente isso dá muito mais ao ego masculino deste nosso personagem. Verdade seja dita, o homem realmente já nem gostava de Georgina era tudo devido ao orgulho ferido de ter sido ela a dar-lhe com os pés - a forma como ele reagiu e aquele modo de raiva interior que ele tinha de mesquinhez, fez com que toda a gente entendesse o tipo de pessoa que ele era. As coisas passam muito por esse mecanismo na realidade. Sentimos também como são as coisas na família de Georgina e vemos que não é nada fácil.

Não disse apenas por dizer que o padrasto dela é um estupor. É mesmo horrível aquele homem. A mãe dela, como disse, está preocupada com a filha. Estava preocupada exatamente por ver que ela não tinha uma carreira estável e nem um seguro de saúde. As coisas eram mesmo diferentes e ela queria que a filha tivesse tudo o que tinha direito. Apesar de querer isto tudo as insistências eram realmente de uma mãe preocupada. No entanto, aquele padrasto não. Ele era mesquinho e demonstrava claramente que era superior às pessoas deitando-as abaixo por terem trabalhos inferiores ao que ele outrora tivera. Para ele, Georgina era uma ingrata por ter dito que queria continuar à procura e a tentar por ela própria antes de se resignar a algo que lhe tinha sido dado e ainda por cima que não era na área de conforto dela. 

As coisas na família dela sempre foram muito atribuladas e não era realmente apenas na história do padrasto, já mesmo com o pai dela as coisas também não foram fáceis - no entanto, deixo isso de lado porque não quero dar spoiler sobre acontecimentos que acabam por afetar realmente a forma como o livro acaba por ser escrito. O mesmo digo sobre como as coisas acabam por ser na história de Georgina e Lucas, não vos conto os mal entendidos que surgiram no passado dos dois, que eles nunca tinham se quer tocado após aqueles anos todos e o mesmo não digo a forma como a coisa fico no final. No entanto digo uma coisa apenas: eles nunca mais se esqueceram um do outro. 

Pág. 1/12