Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

19
Fev18

Book Store #315

twilight_pr

Despertar

Despertar.jpg

Autoria de L.J.Smith.

Já que apenas dei a oportunidade a 11 episódios da série vampírica com o jeitoso do Ian Somerhalder, já que foram apenas esses, pensei que devia ir realmente à fonte e começar pelo menos os livros. A série de facto puxou-me durante 11 episódios o que já por si só é uma conquista para o meu reportório de séries na totalidade. Acontece que ao fim de algum tempo a coisa tornou-se chata para mim e acabei por deixar de ver, apenas via coisa de alguns minutos quando apanhava a dar na televisão e claro tive de ir ver o último episódio de quando a série tinha chegado ao fim.

Pensei que a série fosse fiel ao livro, face aos admiradores da saga. Não havia muito que enganar no meio daquilo tudo. Acho que por muito que não tenha visto a série, tenho bem presente na minha memória grande parte do que aconteceu naqueles 10 primeiros episódios ao longo da primeira temporada. No entanto, tinha uma ideia totalmente diferente daquilo que seria o livro.

Elena Gilbert uma adolescente que está no seu último ano do liceu, quer estar totalmente pronta para enfrentar da melhor maneira todos os olhares que estão à sua volta e continuar a ser a rainha do liceu e a mais popular, namora com o quarterback da equipa de rugby, Matt, e tem as suas duas melhores amigas sempre ao seu lado, Bonnie e Maredith. Graças ao acidente de carro perdeu os pais há coisa de três anos e desde então que Elena vive com a sua tia Judith e com a sua irmã Margaret de quatro anos. 

Stefan Salvatore faz a sua primeira aparição na escola e marca completamente o seu primeiro dia de aulas com estilo, nenhum aluno daquela escola ficou sem saber quem ele era. Elena, sendo ela a mais popular da escola em conjunto com Caroline (é quase como uma rivalidade de quem é que é a melhor no liceu) quer saber de tudo sobre o novo rapaz e ela não vai pensar nos meios para conseguir obter o que quer. A sua curiosidade aumenta, especialmente porque ele a afasta desde o primeiro momento que os dois falaram. Elena não conseguia entender como é que um rapaz podia afastá-la daquela forma, sendo ela quem era e ainda para mais com um ar de quem já tinha tirado todas as notas que precisava para não se meter com a própria.

A única coisa que Elena não sabia era que Stefan tinha um segredo, um segredo que ele mantinha apenas para si há muito tempo, desde o século XV para ser precisa: Salvatore era um vampiro. O grande porquê de ele se afastar de uma forma tão drástica de Elena era simplesmente porque ela o lembra do seu único amor de há anos: Katherine.

Confesso que até poderia ter gostado mais da história se tivesse lido o livro primeiro ou se não me lembrasse tão bem dos primeiros episódios da série, ou então seria tudo a mesma coisa e acabaria por ter a mesma opinião que tenho, mas sem alguns dos argumentos, que se aplicam muito mais à série do que propriamente ao livro.

Durante o livro inteiro levamos com uma Elena demasiado preocupada com as aparências e em querer voltar para a sua vida anterior e a querer dar o melhor de si ao lado das amigas. Vemos uma rapariga que quer terminar o liceu e formar-se de uma vez por todas, vemos o quanto aprecia a amizade, mas ao mesmo tempo Elena não tem consciência daquilo que faz para conseguir atingir os seus meios, pelo menos na minha opinião. Logo após a ter visto pela primeira vez o Stefan, parecia que - apenas por ele ser a carne fresca ali do sítio - ela tinha de o ter custasse o que custasse! Esquecendo totalmente a sua relação com Matt! Que, ao lembrar-se, poucos momentos depois já tinha terminado com ele, por muito que quisesse ser amiga dele. Acontece que, Elena realmente parece não querer saber dos sentimentos de Matt por ela. Um dos momentos que mais me custou a engolir foi quando ela lhe pediu para ele ir com ela ao baile e pediu ainda que Matt fizesse de tudo para que Stefan estivesse lá, porque ela queria tê-lo!

Stefan é um rapaz super reservado e ainda mais introvertido do que era o esperado. Ele apenas quer aproveitar a sua vida e tentar ao máximo envolver-se na comunidade e conseguir ficar no seu mundo enquanto todos fazem a sua vida (se bem que é um bocado complicado). Ele espera que as coisas acabem por assentar logo depois da curiosidade em primeiro lugar de um novo habitante na cidade. Ao longo do livro é que conseguimos descobrir mais sobre ele do que propriamente se fosse apenas contado no ponto de vista de Elena (o que ainda bem que não foi feito, porque seria uma grande seca levar com uma menina irritante popular durante o livro todo) e dessa forma acabamos por entender mais do seu ponto de vista e descobrir a sua história.

Uma das coisas que acabou por pecar um pouco no livro foi as definições de tempo. A história parecia demasiado acelerada e até demasiado curta, mas era apenas uma ilusão. Se formos a ver, Elena passa um mês inteiro a tentar que Stefan olhe para ela e que fale com ela, que ganhe interesse! E depois ainda demora algum tempo por causa do baile de boas-vindas e ainda mais algumas semanas em relação ao baile de Halloween. A questão no meio disto tudo é que a autora não se debruçou tanto, na minha opinião, pelas partes "mortas" digamos assim do livro: aquelas partes que servem quase para encher palha e acaba por nos dar a entender mais dos personagens daquele mesmo livro. As zonas de encher palha dela, a meu ver contavam mais a história de Stefan e sempre que se virava para Elena era quase como se o encher palha dela fosse já um contexto para que no final ela conseguisse a parte da ação que era aquilo que queria e assim que essa parte terminava, ela saltava algumas semanas e puff mais um bocado de contexto e pumba ação.

O facto de ter visto pelo menos 11 episódios completos da série faz-me querer comentar um bocado em relação a ela mesma. As coisas parecem-me estranhas. Parecem-me totalmente trocadas ao ponto de eu afirmar que é das poucas sagas adaptadas para série ou filme que eu vejo que acaba por ser super diferente no mundo do cinema e das séries. Elena Gilbert interpretada pela Nina Dobrev... eu já nem comento o espeto físico que está apresentado no livro e que nos mostram na série, porque de facto no meio de tanta coisa, isso é o de menos. Elena da série, a meu ver, é uma rapariga muito mais frágil do que nos livros e que realmente tenta passar-se por mais forte do que era o necessário, especialmente porque os seus pais tinham acabado de falecer num acidente de carro há coisa de meses (não anos). Elena parece-me ser muito mais meiga e por muito que no avançar do tempo pareça mais forte, ela no início parece-me muito mais meiga e simpática e mais racional acerca dos erros do que propriamente no livro. Uma das coisas que me faz pensar realmente o porquê da mudança é o irmão/irmã dela. Nos livros Elena tem uma irmã de quatro anos chamada Margaret e na série ela tem um irmão adolescente, o Jeremy. Possivelmente acaba por criar um outro enredo (claro) na história porque não sendo a irmão tão pequena, acaba por se ver dois adolescentes criados pela mesma família e a forma como a morte dos mais acaba por afetar ambos de formas diferentes. Já nem comento a mudança do nome da tia dela: de Judith para Jenna?

Em questões de tempo em não vejo realmente mudanças a não ser até nos próprios personagens. Não entendo é em questões de espaços o porquê de modificarem o nome e tudo da própria cidade do livro para a série. De Fell's Church para Mystic Falls. Mudanças pequenas, mas que após tantas mudanças ao longo do livro para a série, a coisa acaba por ter alguma importância. Isto para mim faz-me mais impressão do que as aparências dos personagens (é mais importante para mim a personalidade dos personagens do que as aparências).

Stefan da série parece realmente ser muito mais confortável ao estar em volta de estudantes e em estar ao lado dela, por muito que no livro não seja assim: ele parecia e tudo evitá-la quando estavam perto um do outro, porque quando ela não estava a olhar para ele, Stefan passava o tempo todo a olhar para ela, querendo arranjar maneiras de descobrir se Elena poderia ter algumas diferenças entre ela e Katherine, de forma a que ele conseguisse suportar o facto de elas as duas serem tão iguais.

Katherine através das memórias de Stefan parece uma rapariga frágil e delicada e demasiado apaixonada pelos dois irmãos Salvatore: Stefan e Damon. Durante o século XV, Katherine parece realmente uma mulher apaixonada pelos dois rapazes e realmente não consegue prescindir da sua vida sem os dois homens que mais ama na sua vida, mesmo sabendo que os dois são bastante rivais especialmente em relação ao amor que sentem por ela. Na série, a mim por muito que nas memórias dele seja mimosa, ela não parece realmente tão frágil como aparenta ser e isso acaba por ser uma reviravolta no caráter e tudo da própria personagem e isso deixou-me um bocado triste, porque acaba por demonstrar também o porquê de na época os dois irmãos se terem apaixonado por ela.

Por último, falo do Damon. Damon está presente em todo o livro sob a forma de corvo e que até se explica melhor como é que isso é possível no livro do que propriamente na série, que eu me lembre e sinceramente acho que é um dos personagens que pelo menos se manteve fiel ao livro, pelo menos nos 10 primeiros episódios e sobre a fonte segunda da Pipa, no resto da primeira temporada. Damon vive ressentido especialmente pelo irmão e pelas escolhas feitas por Katherine naquela mesma noite quando ela decidiu que não conseguia apenas escolher um e que queria os dois. A forma como foi tudo feito ao ponto de cada um se matar ao ponto de acabarem por se transformarem em vampiros, Damon sente um grande rancor e especialmente porque Stefan tende a ser o preferido de todos e até da família biológica, enquanto que... ele era sempre aquele que ninguém queria em casa em qualquer circunstância. Na série a coisa, se bem me lembro, não muda muito. Damon interpretado pelo Ian Somerhalder, demonstra um grande rancor por não ser claramente o preferido e também demostra que até mesmo com a dádiva da vida eterna nele próprio é o melhor. Se bem que, no livro o rancor é ainda maior.

Contudo e falando apenas do livro, acho que tinha tudo para gostar mais. E espero que os próximos consigam realmente ser melhores do que o primeiro e que a personalidade da Elena não seja como foi neste primeiro, porque de facto... neste livro irritou-me bastante, foi sem dúvida o ponto fraco do livro. No entanto, o livro por muito que me pareça apressado tem uma boa linha de pensamentos, se bem que  poderia ter sido desenvolvido aquilo que já referi.

2 comentários

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.