Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

02
Abr18

Book Store #319

twilight_pr

Discurso sobre a Dignidade do Homem

Discurso Sobre a Dignidade do Homem.jpg

Autoria de Giovanni Pico Della Mirandola.

Era para já ter feito este post há mais tempo, mas há coisas que acabam por se sobrepor e acabei por deixar estar. Então, vamos lá falar.

Se fosse por mim não iria ler o livro, não porque não me interessasse porque acabou por ser bastante interessante, mas porque não é realmente aquele tipo de livro que eu vá ler simplesmente por querer. Foi meramente por obrigação especialmente porque com as frequências à porta foi a melhor coisa que eu fiz.

O livro é o discurso de Pico Della Mirandola que refere exatamente os grandes mestres que ele seguia, começando logo pelas suas primeiras grandes teses que falavam exatamente sobre isso, no entanto grande parte do livro também refere à sua interpretação e o que ele próprio achava sobre esses mesmos pensamentos, criando então as outras teses (as tais 900 teses).

O livro é muito pequeno e até que acaba por nem ser muito complicado de ler, mesmo com um português um tanto complicado de ler, porque tem de se estar mesmo atento ao que se está a ler por causa da escrita e porque grande parte acaba por ter significados em latim, que claramente faz uma pessoa perder totalmente o interesse na leitura, especialmente quando ela é forçada como este livro foi para mim.

No entanto, uma das boas coisas da própria tradutora foi colocar uma bela de uma nota que acaba por referir todos os pontos necessários tratados por Pico Della Mirandola  de forma a ajudar então a que se entendesse mesmo o que o próprio estava a querer referir na sua obra. O próprio mostra-se um autor diferente para a sua época do renascimento, podendo até dizer que era demasiado avançado para a sua própria época o que o tornava um bocado frustrado consigo próprio. Mesmo sendo uma coisa positiva, acaba também por condicionar um bocado a leitura, porque acabamos por direcionar a nossa própria interpretação naquilo que acabamos de ler em relação à própria interpretação que nos foi dada por outra pessoa.

1 comentário

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.