Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

14
Abr18

Book Store #321

twilight_pr

Academia de Vampiros

Academia de Vampiros.jpg

Autoria de Richelle Mead.

Andava durante muito tempo para ler o primeiro livro da saga, especialmente porque sempre achei interessante o desenrolar. Entretanto acabei por ver o filme mais uma vez no outro dia e acabei por me lembrar que tinha os livros no meu ebook. Acabei por pegar neles durante alguns dias e sempre que tinha um tempo livre acabava sempre por ler uma história de vampiros totalmente diferente daquelas que eu me lembro que tenham sido contadas.

Claramente que há coisas parecidas com algumas histórias, como por exemplo o facto de eles não queimarem ao sol, já tinha lido livros em que a mesma coisa aconteciam, apenas os deixa muito debilitados, o que para mim acabou por não ser uma novidade.

Toda a história é contada na primeira pessoa pela personagem mais principal de todas, Rose. Rose é uma meia vampira, mas considerada Dhampir e que basicamente é a guardiã dos verdadeiros vampiros, por assim dizer, os Moroi. A sua melhor amiga, Lissa, é uma Moroi e as duas partilham uma ligação muito forte ao ponto de Rose conseguir sentir perfeitamente como Lissa se sente e sabe sempre onde é que ela está e pode muitas vezes vivenciar as mesmas experiências que a própria. As duas tentam combater com isso de forma as duas poderem de certa forma viver as suas vidas, mas ao lado uma da outra.

O livro começa quando as duas basicamente são apanhadas pelos Dhampirs da Academia de St. Vladimir, elas as duas tinham fugido durante bastante tempo e durante todo aquele tempo Rose tinha mantido Lissa totalmente fora do alcance deles até àquele exato momento. Tiveram de voltar para as aulas e para aquele que era o seu mundo. Rose acabou por ser afastada mais ou menos de Lissa, mas não completamente especialmente porque as duas tinham a sua ligação e ainda ninguém tinha entendido como aquilo era possível, especialmente porque apenas tinham conhecimento de um caso como aquele: St. Vladimir e a sua Dhampir guardiã Anna

Entretanto, enquanto ela não estava nas suas aulas ou até com Lissa, Rose acabou por ter de ter treinos fora de horas com o seu professor e mentor para conseguir apanhar os outros Dhampirs que estavam a trabalhar para guardiões e que estavam no mesmo ano que ela. O seu mentor era Dimitri, um homem mais velho que ela e que tentava ao máximo não mostrar as suas emoções para conseguir que Rose acabasse por ser ainda melhor e tentar ao máximo cumprir o papel que ela tinha dito que queria ter na vida de Lissa.

O livro todo centra-se em descobrir o que se passa na vida de Lissa e de Rose, porque é que elas são as únicas que têm a ligação, porque aconteceu a partir do acidente de carro que as duas tiveram com a família Lissa e que acabou por matar a todos, aos pais e ao irmão de Lissa, acabando por ser eles as vítimas mortais de tal acidente, tornando a Lissa a última descende da sua linhagem real, competindo ainda com mais onze. Vemos também que algo de muito estranho se passa na Academia, andam a deixar animais mortos ao lado do Dormitório de Lissa e ainda a vermos a utilizar várias vezes a compulsão, Lissa não parece uma adolescente Moroi cujo seu dom não são nenhum dos quatro elementos, ela parece não se especificar em nenhum dos quatro.

Continuando e falando sobre o que consta o livro, vemos bastante os sentimentos de Rose durante o livro, seria muito mal se não fosse porque é ela que está a contar-nos a sua história. Continuando e falando especificamente dela, enquanto Rose tenta ajudar desesperadamente Lissa a controlar-se por causa da sua magia que a anda a corromper, vemos igualmente que ela está a perder-se de amores por Dimitri, o seu mentor e professor sete anos mais velha que ela.

Dimitri não faz qualquer tipo de avanços para dar esperanças a Rose, mas a rapariga simplesmente não consegue controlar, especialmente porque sabe que se ele e ela acabassem juntos ela não poderia mesmo ficar com Lissa, especialmente porque nenhum Dhampir pode ficar com outro Dhampir, especialmente quando ambos são guardiões da mesma pessoa, porque para aumentar a espécie de guardiões, um Dhampir tem de ficar com um Moroi, especialmente para a procriação, porque só dessa forma é que um Dhampir nascerá. 

Algo que ainda não falei os Dhampirs são bastante importantes especialmente pela terceira espécie de vampiros e essa sim é aquela que nem pode andar ao sol, é um ser totalmente irracional e que a única coisa que quer realmente é sangue de qualquer criatura que lhe apareça é muito mais rápido e muito mais pálidos e vivem durante mais tempo, esse tipo de vampiros são os Strogoi e eles são a verdadeira ameaça para os Moroi, daí existirem os Dhampirs para poderem combater e proteger os Morois, porque o grande ensinamento dado aos Dhampirs que trabalham para serem guardiões é que os Morois vêm sempre primeiro que os próprios.

Como foi daqueles pequenos casos em que vi primeiro o filme e depois é que li o livro que o originou, acabei por ainda o ter demasiado presente e consegui logo entender todas as diferenças que eles tinham. As coisas claramente parecem mais aborrecidas no filme e falta uma data de contexto que o livro dá na sua totalidade como não poderia deixar de ser.

Continuando, acho que o grande ponto do livro foi o romance proibido entre o Dimitri e a Rose, especialmente porque ele é uma pessoa que não se abre nada para ninguém, muito menos para Rose, mas é sem dúvida ela a primeira pessoa que descobre os seus pontos fracos e sem dúvida que isso é um tanto romântico. Grande parte do que Rose faz Dimitri acaba sempre por entender e acaba sempre por saber antes mesmo de ela o fazer, porque de certa forma os dois conhecem-se bastante bem. No entanto, o romance entre os dois nunca foi contado a ninguém, muito menos a Lissa porque de certa forma Rose acabaria por se sentir demasiado pressionada e sabia que não era o correto estar apaixonada pelo seu mentor, especialmente sendo eles os dois os guardiões de Lissa.

A grande parte principal do livro foi o ponto de Dimitri claramente ter razão num ponto e acho que foi realmente a coisa mais romântica que eles tinham dito um ao outro. Enquanto eles os dois fossem os guardiões de Lissa, Dimitri ao trabalhar com Rose, durante um ataque ele saberia perfeitamente que ele não estaria preocupado no estado de Lissa e ele acabaria sempre por se pôr à frente de Rose e não de Lissa como era o suposto de um Dhampir fazer. Acho que foi realmente uma das provas de que o sentimento de Rose era mútuo e de certa forma acabou por aliviar o meu coração já totalmente a morrer, porque eu sinceramente estava ansiosa, durante todo o livro, para um momento deles os dois, era sempre assim durante o livro todo! E depois quando no final ele disse uma coisa daquelas, eu simplesmente não conseguia acreditar!

Gostei bastante dos personagens, achei que o Dimitri e a Rose eram personagens mesmo muito fortes assim como gostei bastante do personagem do Christian Ozera, o namorado de Lissa no final do livro que ninguém gostava porque os seus pais se tinham tornado Strogoi voluntariamente.

Acho que foi uma abordagem diferente do fantástico que eu já estou habituada a ler dos diversos mundos vampíricos e Richelle Mead acabou por me surpreender bastante com este seu primeiro livro!

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.