Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

27
Jun18

Book Store #329

twilight_pr

Perigo Irresistível

Perigo Irresistível.jpg

Autoria de Becca Fitzpatrick.

Depois de ler a saga Hush;Hush pensei que seria difícil de pegar num livro da Becca que não fosse relacionado com o fantástico, porque gostei tanto dos livros do Hush;Hush que sinceramente não sabia se mais alguma coisa dela me iria arrebatar tanto como a sua saga (mais o primeiro livro do que os outros três). 

Após anos e até depois da Jules me de ter dito que tinha sido um livro muito giro acabei finalmente por o pegar nesta segunda-feira e, de novo, acabei por nem conseguir colocar um único marcador de livros tal a rapidez com que li o livro e confesso que me surpreendi bastante como tudo aconteceu e de todo o enredo que a própria escritora acabou por arranjar para conseguir escrever o livro.

O livro trata de duas grandes amigas, Britt e Korbie que decidem fazer uma viagem durante as férias da Páscoa. As suas amigas decidiram ir para o Hawaii, mas Bitt não quis de facto ir para lá e acabou por aproveitar e planeou uma viagem com a sua melhor amiga desde a infância para fazerem um circuito de 60 quilómetros nas montanhas. O único problema era que Britt era a única que sabia que eram 60 quilómetros e não apenas 3 como tinha afirmado à amiga enquanto planeavam a viagem.

O que não estava a contar era que o irmão mais velho de Korbie e seu ex-namorado fosse com elas para aquela viagem, não apenas porque ele era um grande especialista em caminhadas como era igualmente o irmão mais velho da melhor amiga de Britt e ele precisava de proteger a única rapariga que os seus pais tinham tido. Assim sendo, Britt não se tinha sido nada à vontade com a sua ida especialmente porque o próprio irmão de Korbie, Calvin, tinha terminado o namoro com Britt por telemóvel, uns tempos depois de ele ter entrado em Stanford e se ter mudado para a faculdade e nunca mais ter voltado para casa.

Um dos maiores medos de Korbie naquela viagem tinha sido exatamente que nos anos anteriores tinha ocorrido três mortes e ninguém sabia ao certo se tinham ou não alguma ligação, mas de facto tinham morrido três mulheres e ninguém tinha entendido o que tinha acontecido, ninguém sabia o paradeiro das mulheres e todas elas tinham morrido naquela montanha.

Desta forma, depois de se terem encontrado pela primeira vez, Britt não quis dar parte fraca e acabou por mentir a Calvin afirmando que tinha um novo namorado e que estavam bastante bem. Quando isso aconteceu a primeira pessoa que lhe apareceu à frente acabou por ser Mason, um rapaz misterioso e que estava há pouco tempo na cidade, era perfeito porque Calvin estava fora de casa há oito meses era impossível ele conhecê-lo.

No entanto, tudo acaba por mudar quando Calvin já estava dentro do chalé onde iriam ficar e Britt e Korbie ainda estão a ir para lá quando de repente uma grande tempestade de neve faz com que elas tenham de sair do carro e de se abrigar num outro sítio: no mesmo abrigo onde acaba por estar Mason e outra pessoa que o acompanha e que é demasiado suspeito. 

Quando se dão conta as duas amigas acabam por ser raptadas pelo amigo de Mason e ambos estão desesperados para conseguirem sair e irem para autoestrada para poderem fugir. Assim sendo, Britt faz de tudo para que deixassem a sua melhor amiga na cabana, porque sabia que a probabilidade de Calvin descer era elevada e acabaria por a encontrar e ela acabaria segura. Mentindo e afirmando que conhecia aquela montanha com a palma da sua mão, Britt foi levada pelos dois e com a ajuda de um mapa escondido de Calvin tentou ao máximo sair daquila aventura vida e salva. 

Acontece que nada era o que parecia. Britt ao longo dos quatro dias, agarrou-se às memórias bonitas que tinha enquanto ainda namorava com Calvin e ao mesmo tempo acabou por começar a nutrir sentimentos pelo próprio Mason. Sabia que a probabilidade de ser Síndrome de Estocolmo era elevada, mas não podia simplesmente ignorar toda a atração que sentia por ele.

Becca manteve um mistério em volta das personagens basicamente ao longo de todo o livro, sempre que havia conversa descobria-se ainda mais sobre eles mesmos. Britt e Mason foram as duas personagens que se aprendeu mais ao longo da história, especialmente porque eram eles os protagonistas e especialmente viu-se a verdadeira essência dos dois irmãos, Korbie e Calvin. Ao início quando reparei que se falava de um ex-namorado que tinha terminado tudo por telemóvel, pensei mesmo que o livro fosse no final de tudo ela a ficar com ele de novo, mas era demasiado cliché e achei que ainda bem que não tinha acontecido e adorei os mistérios que foram descobertos e que até mesmo ao último momento foi descoberto.

Tinha saudades de ler livros dela, deixou-me com uma grande nostalgia, porque aquela língua afiada que Becca nos habituou bastante com os personagens Nora e Patch do Hush;Hush acaba por estar presente nos personagens novos, aquela espontaneidade em responder, continua toda lá e isso é realmente algo que me deixa mesmo feliz. Que saudades.

1 comentário

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.