Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

29
Jun18

Book Store #330

twilight_pr

The Kissing Booth

The Kissing Booth.jpg

Autoria de Beth Reekles.

Li o livro depois de ter visto o filme na qual tinha sido adaptado e confesso que esperava mais do livro. Posso já começar a afirmá-lo da melhor forma, porque de facto acho que devo começar por aí. Porém, falarei mais tarde sobre as diferenças evidentes da sua adaptação para filme.

Rochelle, mais conhecida por Elle, está no seu 11º ano e está pronta para começar em grande o seu novo ano, quer experimentar realmente coisas novas ao lado do seu melhor amigo e quer especialmente apaixonar-se, por assim dizer, e ter o seu primeiro beijo. Elle partilha tudo com o seu melhor amigo Lee. Lee e Elle nasceram no mesmo dia com alguns minutos de diferença que quase nem se nota realmente, até se podia dizer que eram gémeos, se não fosse pelas mães diferentes que eram as melhores amigas.

Desde pequena que Elle se dava com Lee e, portanto, desde sempre que tinha de aturar Noah e as suas insolências ao longo dos seus anos, especialmente quando finalmente se tornou realmente uma mulher e se começou realmente a interessar-se por rapazes.

No entanto, com o seu interesse por rapazes a aumentar Elle vai-se dar conta que rapidamente não consegue nem ter o seu primeiro encontro e tudo graças ao irmão mais velho do seu melhor amigo. Noah ameaçou todos os rapazes da escola de forma a que nenhum deles alguma vez fosse ter com ela e que nunca lhe convidasse para um encontro. As coisas acabaram por correr muito mal quando Elle descobre e as discussões entre ambos passa de mal a pior. Noah era controlador e Elle era demasiado ingénua para entender realmente as iniciativas dos rapazes.

Contudo, nenhum dos dois pensou encontrar-se na banca dos beijos, organizada por ela e por Lee, para agariarem dinheiro para darem para a caridade. Nessa banca dos beijos, Elle teve o seu primeiro beijo com Noah Flynn, irmão mais velho do seu melhor amigo e a sua primeira crush que há muito tempo que tinha pensado que já tinha desaparecido, afinal... aquele sentimento continuava lá.

Após o seu primeiro beijo a vida de Elle mudou rapidamente. Quando se apercebeu já estava num suposto relacionamento com Noah e não tinha contado a ninguém, muito menos a Lee, sobre o que eles tinham. Sabia que era arriscado, mas sendo Noah não sabia realmente se a atração que ambos sentiam um pelo outro acabaria por realmente levar a um outro nível. Esse era a parte mesmo importante no meio disto.

O livro tinha tudo para ser fantástico confesso, tinha tudo mesmo para que me atirasse de cabeça e saísse de lá com um sorriso na cara e muito possivelmente com uma grande ressaca literária. Porém, isso não aconteceu propriamente. Atirei-me de cabeça, especialmente porque tinha gostado do filme e queria saber como é que era o final do livro comparativamente ao final que eu vi no filme e que não foi propriamente o que eu tinha achado que seria o melhor.

Confesso que esperava mais das personagens, quando se vê que Elle acaba numa relação com o irmão mais velho do seu melhor amigo, automaticamente se pensa num romance proibido e que deve ser mantido em segredo por causa disso mesmo, porque será um grande problema quando as famílias descobrirem e sobretudo o melhor amigo. No entanto, as coisas parecem diferentes daquilo que era esperado. Elle e Lee são descontraídos em relação a esse assunto e o único problema passa mesmo pelo momento da mentira que não devia ter acontecido. Não se devia mesmo mentir ao melhor amigo, sabendo que foi isso que mais magoou Lee no final da história.

Uma das outras coisas que acho que acabou por não se desenvolver muito foi mesmo a relação de Elle com Noah. De um momento eles apenas discutem e depois a única coisa que realmente mudou entre eles os dois foi que passaram a enrolar-se mais, porque de resto as discussões continuaram a um grande nível como anteriormente e basicamente não vi aquele romance a emergir tanto como gostaría, porque quando afirmaram que se amavam eu realmente não vi assim indícios de que o gostar deles os dois tivesse passado para amar. 

Falando concretamente da comparação entre o filme e o livro eu nem sei realmente por onde começar. As personagens por acaso até se mantém ligeiramente fieis ao que elas são nos livros. Elle continua a ser uma respondona do pior para Noah e Noah continua a ser o grande playboy ali da escola que apenas se mete em lutas e que tem a grande fama. Lee é o irmão mais novo da grande estrela da escola e que acaba por ser um pouco colocado de parte graças a esse ponto, mas não teve namoradas ao longo do liceu (isto no filme). No entanto, as coisas mudam um bocado ao longo do filme.

Vemos que Lee e Elle têm uma lista de regras da amizade na qual uma delas é a de que não se pode apaixonar pelo irmão de Lee: Noah. Coisa que nem acontece no livro! Aliás não há qualquer lista com regras da amizade e muito menos vemos Lee tão obsessivo nessa questão de não deixar a melhor amiga estar com quem gosta. Porque ele pode não gostar, mas apoia a amiga e isso é importante no livro, a questão da relação às escondidas não se centra tanto no facto de ser uma amor "proibido", mas sim no facto de ter sido tudo às escondidas. E confesso que de certo ponto acabei por gostar mais da versão do filme, porque não me consigo controlar quando vejo que são falados de romances proibidos. (Por algum motivo um dos livros anteriores foi uma relação tecnicamente de professor e aluna).

Uma outra coisa que acabou por mudar um pouco foi a até a relação de Lee e de Elle. Elle e Lee são inseparáveis é verdade e nota-se bastante a sua cumplicidade, pela forma como cada um frequenta a casa um do outro quase que nem avisando os próprios progenitores, podia-se dizer mesmo que eles eram irmãos! No entanto, no livro, desde que Lee começou a namorar com uma rapariga que as coisas tinham mudado radicalmente. Primeiramente, Lee já tinha tido outras namoradas, mas todas elas tinham ficado com ciúmes da relação dele com Elle e não tinham querido continuar, mas com aquela rapariga... Lee tinha realmente encontrado uma grande pessoa com quem ficar. Assim sendo, nota-se bastante que Elle no começo da relação acaba por ser posta de parte: é esquecida frequentemente pelo melhor amigo e etc. e portanto não assim um grande problema. No entanto, no filme acabamos por ver que Elle está sempre com eles a qualquer momento independentemente da ocasição e depois acabamos por ver que Lee, por muito que goste da namorada, está realmente disposto a terminar tudo com ela, caso Elle lhe dissesse que não gostava dela. Essas coisas acabam por mudar ligeiramente o caráter do personagem e que me fez não gostar tanto dessa forma de ser. Foi um dos pontos que eu voltei a favorecer o filme. Porque de facto ao serem tão próximos era normal, ele continuar a não querer que ela namorasse com Noah. 

É dos poucos casos que me ocorreu de ter gostado ligeiramente mais do filme do que propriamente do livro, porque há muitas coisas que realmente poderiam ter sido mudadas e melhoradas e que ao fim ao cabo acabo por gostar mais de um bom drama misturado com uma relação às escondidas por não ser aprovada pelos amigos e família do que propriamente um romance que acaba por ser escondido porque não se sabe realmente como é que vão falar com as famílias e que pouco tempo depois acaba tudo por se resolver da melhor forma possível e que para mim acabou por ser demasiado rápido.

O próprio livro tem o seu próprio desenvolvimento, mas no final... parecia que ela simplesmente queria terminar de escrever e acabou por despachar tudo, colocando momentos bonitos entre eles e de como Noah estava realmente disposto a mudar por ela porque por ela, ele fazia de tudo!

Enfim, contudo, foi uma leitura leve e deu para entreter.

1 comentário

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.