Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

10
Jul18

Book Store #331

twilight_pr

O Homem dos seus sonhos

O homem dos seus sonhos.jpg

Autoria de Nora Roberts.

Estava com saudades de ler livros da Nora mais uma vez e desta vez, peguei num livro que acaba por estar atrelado a mais dois. Tinha tudo para eu gostar, uma rapariga que estava a trabalhar num romance e que tinha ido para uma casa nova pronta para começar o seu livro em grande e para ver se o conseguiria publicar e dar a conhecer ao mundo as suas capacidades.

Jackie vê-se embrenhada num contrato com o seu primo, pronta para poder ter a sua casa apenas para si e assim conseguir concentrar-se plenamente no seu novo romance: o seu novo projeto. Aquilo que Jackie não sabia era que o seu primo a tinha enganado ao ponto de ao fim de uma semana, ter terminado a partilhar a sua casa com o verdadeiro dono da casa na qual ela estava a habitar: Nathan.

Nathan era um arquiteto pronto para poder relaxar um pouco na sua casa, sem qualquer companhia ao ponto de poder relaxar antes de se embrenhar no seu novo projeto. Tal coisa acabou por não acontecer, porque ao chegar a casa encontrou uma mulher nua no seu jacuzzi que se brindava com todas as relíquias da sua casa, incluindo dormir na sua própria cama. Nathan ficou pior que estragado e fazia intenções de a expulsar da sua própria casa, independentemente do dinheiro que Jackie tinha perdido ao fazer um contrato daqueles com o seu irmão.

Contudo, Jackie não fazia intenções de sair daquela casa muito menos depois de ter gasto três mil e quinhentos dólares na casa dos seus sonhos e na qual estava já há uma semana a trabalhar no seu precioso livro. Assim sendo, ela acabou por conseguir distrair Nathan através do estômago e acabaram a fazer um pacto. Ela ficaria, desde que não se metesse no seu caminho e desde que ela prepara-se todas as refeições para ambos.

O livro é simples e confesso que esperei ligeiramente mais dele, no entanto, acho que ele acabou sobretudo por ganhar ainda mais falor a meu ver especialmente por causa do Nathan, personagem agressivo e rabugento e que era sem dúvida solitário e não tinha intenções de mudar as suas formas de vida apenas porque Jackie tinha cometido o erro de voltar a confiar no seu primo e por ter voltado a ser enganada por ele. Assim, grande parte do tempo acabamos por ver uma mulher super sedutora e bastante relaxada e otimista ao lado de um homem bastante meticuloso e que precisa urgentemente de ter o controlo da sua própria vida, coisa que aos poucos parece que vai perdendo por estar na companhia de Jackie.

O facto de Nathan ser tão controlador sobre a sua própria vida, mostra automaticamente a forma de como ele muda radicalmente aos poucos. Ele é um homem que gosta de mulheres arranjadas, não alguém que ande de descalça e que apanhe um cabelo de uma forma descuida, mas parece que tudo muda assim que vê Jackie e a sua evolução é aquela que eu realmente vejo e aprecio mais. De resto, as coisas parecem correr rápido demais.

Como por exemplo, a demonstração dos sentimentos. O facto de Nathan ser um pouco fechado sobre si e solitário, faz com que ele não queria acreditar que esteja apaixonado por ela. Por outro lado, Jackie sendo demasiado liberal e adorar novas experiências acaba exatamente por mostrar os seus sentimentos assim que se apercebe o que é que eles realmente são. Jackie é demasiado impulsiva, tanto que já frequentou várias universidades e demasiados projetos graças a ser demasiado impulsiva. Quando se apaixona por uma algo ela vai realmente a fundo na questão, mas da mesma forma como se interessa acaba por se desinteressar. No entanto, com Nathan, tudo parecia diferente.

Acho que isso foi uma das coisas que eu mais gostei no livro, o facto de eles se completarem. Aquilo que ela era ele não era e aquilo que ela não era, ele era. Eles completavam-se: sempre que precisavam de uma nova ideia, perguntavam um ao outro por no final de tudo, o resultado seria exatamente o mesmo: eles trabalhavam em rumos diferentes para chegar ao mesmo resultado. E achei isso bastante interessante, especialmente por eles finalmente compreenderam a relacionar-se de uma forma íntima e romântica e a conviverem realmente com as suas diferenças, não esperando que cada um mudasse apenas por que sim.

Gostei bastante e só achei que foi demasiado apressado, quando reparei já tinha terminado. Normalmente mesmo em romances apressados eu gosto do trabalho da Nora, mas este... ficou um pouco aquém, mas pronto. Ela conseguiu redimir-se no final de contas com o resto que acabou por ser muito bom.

3 comentários

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.