Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

02
Ago18

Book Store #337

twilight_pr

Os Contos de Beedle, o Bardo.

Os Contos de Beedle, o Bardo.jpg

Autoria de J.K.Rowling.

A imaginação não tem limites e foi exatamente isso que eu senti quando peguei n'OS Contos de Beedle, o Bardo. J.K.Rowling deu-nos a mostrar o grande livro que ajudou o trio de ouro a descobrir tudo o que tinham a descobrir sobre os talismãs da morte e especialmente descobrir porque é que o Voldemort estava atrás da grande varinha de Dumbledore, que acaba por se descobrir que é afinal a varinha mais poderosa do universo dos feiticeiros. 

No total este livro conta com cinco contos, neste caso o mais famoso acaba por ser o último de todos, porque é esse mesmo que os ajuda com os talismãs da morte: especialmente porque é esse conto que é visto nos próprios filmes e contado nos próprios livros.

Antes de falar dos outros quatro contos, devo confessar que uma das coisas que achei mesmo criativo foi a forma como J.K.Rowling acabou por construir estes mesmos contos. No livro é sabido que Hermione Granger aprendeu ao longo do tempo as Runas Antigas da magia e quando estamos no sétimo livro, é visto que Dumbledore deixou ao trio algo nas suas posses, para ela tinha sido Os Contos de Bleedle, o Bardo ainda em runas. Uma das coisas mais interessantes é o facto de que na sinopse do próprio livro agora lançado para as bancas do mundo muggle, é que se afirma completamente que foi Hermione Granger quem traduziu todos os contos para inglês através das runas e isso foi realmente um laço bastante interessante de se fazer entre os próprios livros de Harry Potter e os Contos. Uma outra coisa que achei ainda mais importante é o facto de o próprio livro estar cheio de anotações do próprio professor e diretor: Dumbledore e nem mesmo por isso eles retiraram isso. Ali estavam elas, todas as suas anotações também nos livros que foram lançados para os muggles e isso realmente foi muito bem pensado.

Graças à mana mais velha conseguimos adquirir Os contos e confesso que fiquei bastante triste por os ter terminado em menos de duas horas, dado que todos eles são bastante fáceis de se ler e o livro em si é bastante pequeno. Basicamente nestes cinco contos é como as histórias para deitar que se lê às crianças: acabam sempre por ser um significado que elas não entendem por detrás da história bastante significativo.

O primeiro conto "O Bruxo e o Caldeirão Saltitante" é bastante giro e foi um dos contos que eu mais gostei de ler. Um dos pontos principais foi porque acaba por ter um ponto bastante importante sobre respeitar os outros e especialmente aceitar aquilo que nos dão, mesmo que acabemos por não entender em primeira mão o porquê de nos ter sido deixado. O Bruxo tinha perdido o pai e ele tinha deixado ao filho um caldeirão com um pé. No entanto, havia uma grande diferença entre ele e o filho. O Bruxo não ajudava os Muggles que precisavam de ajuda como o seu pai fazia, no entanto, como o próprio pai já sabia como era o filho, o caldeirão acabou por mudar a vida do bruxo, ao ficar com os mesmos sintomas que os muggles se queixavam que os familiares ou eles próprios tinham. Assim sendo, ele próprio mudou a sua vida radicalmente e passou a ajudar as pessoas com quem ele vivia. O legado é importante neste conto e especialmente mostrar ao filho que havia realmente muito mais do que simplesmente aproveitar a magia que ele tinha dentro de si.

 O segundo conto, "A Fonte da Sorte" conta a história de três feiticeiras que graças à vida acabaram por ter uma parte infeliz e precisam da tão famosa fonte que concede, ao mais porte dos muggles ou feiticeiros, um desejo a quem conseguir chegar até lá sem nunca perder a pé. Assim sendo, as três feiticeiras mais um cavaleiro muggle que encontram pelo caminho acabam por fazer a sua viagem para conseguirem pelo menos chegar finalmente à fonte e cumprir o seu desejo e poder pelo menos uma ser feliz. Este conto acaba por falar especialmente do altruísmo e do companheirismo. As três irmãs, uma que tinha uma doença, uma outra que tinha sido roubada e outra que tinha sido abandonada, acabaram por se aventurar juntas naquela viagem sabendo perfeitamente que apenas uma delas conseguia realmente ter o seu pedido feito e no final, também o cavaleiro que as acompanhou, mas sabia perfeitamente que poderia nunca conseguir nada. No final, quando conseguiram finalmente chegar o pronto principal é que as três feiticeiras realmente não pensam nelas próprias e pensaram sempre numas nas outras e nunca lutaram para que fossem elas próprias a conseguirem o desejo e isso foi um dos pontos principais que me fez gostar ainda mais do conto.

O terceiro conto "O Coração Peludo do Mago" foi um tanto estranho e acho que foi um dos obscuros e tanto que acabou por acabar mal. O mago acaba por ser um feiticeiro bastante atraente e bonito, no entanto, ele próprio acaba por cair na tentação da magia negra e usa-a para não se conseguir apaixonar, para não seguir o mesmo caminho dos seus amigos que acabaram por se apaixonar com o tempo. No entanto, com o tempo acabamos por ver um lado obscuro do conto, que é lado em que de repente o próprio feiticeiro acaba por ficar sozinho por não conseguir estar com ninguém graças ao feitiço que tinha feito. Quando os pais morrem e ele se sente totalmente sozinho, ele próprio acaba por arranjar uma esposa bonita e que faça inveja a todos os outros. No entanto, há sempre aquela coisa de que a magia tem sempre um preço e quando ele arranjou a sua esposa bonita e atraente, ele acabou por se esquecer por momentos da própria magia negra que tinha feito anteriormente.

O quarto conto "Babbity, a coelha e o seu toco gargalhante" acaba por mostrar a caça às bruxas e aos feiticeiros nos tempos antigos, quando eram mal vistos. No grande reino havia um grande homem que fingia ser um feiticeiro, esse reino ele acabou por "enganar" o próprio rei que se acha também ele um feiticeiro. Quando o próprio já fica farto de treinar com a sua suposta varinha e acaba por se mostrar para toda a população do seu reino. Como o homem que fingia ser feiticeiro não queria realmente morrer por ter mentido ao rei pede ajuda a Babbity, uma verdadeira feiticeira, durante a própria demonstração do rei. No entanto, o rei no final tende a querer ressuscitar os mortos, algo que nunca ninguém tinha conseguido fazer, nem mesmo os feiticeiros. Assim sendo, Babbity foi desvendada e acabou por totalmente por ser perseguida até conseguirem a sua cabeça, especialmente porque tinha sido ela a enganar e a fazer rir o próprio rei. Com tais ditos, a própria acabou por aparecer uma árvore e quando se aperceberam acabou por cortar a mesma. Nessa mesma forma, ela mesmo continuou a ecoar para que todos ouvissem incluindo o rei. Assim sendo, acabaram por erguer uma estátua dela, deixando assim de caçar feiticeiros e feiticeiras apenas porque não conheciam. É uma história para crianças falando basicamente da caça às bruxas e gostei bastante de como foi contado, especialmente pela forma como o rei pensava. Primeiro adorava a magia quando pensava que ele próprio fazia, mas quando soube que tinha sido enganado, já não pensava da mesma forma

O quinto conto não preciso de me alongar, mas confesso que continua a ser um dos meus preferidos especialmente por causa da mensagem significativa em relação à efemeridade da vida. A morte que é enganada pelos três irmãos feiticeiros e que acaba por lhes recompensar de uma forma a que mais tarde acabe por os ter. Até nos três irmãos consegue haver uma grande característica. O mais amistoso, o mais passivo e aquele que é totalmente competitivo e galã e que apenas pensa nas vitórias. Através das características dos irmãos também acabamos por descobrir quem é que acaba por morrer primeiro e que vem vai morrer em último e isso foi realmente um ponto bastante interessante, dado que volto a referir mostra a efemeridade da vida num conto que é supostamente para crianças no mundo dos feiticeiros. 

Estes contos dão-me sempre vontade de reviver o mundo de Harry Potter e uma grande de voltar a explorar tudo de uma outra forma e isso deixa-me mesmo feliz por ter lido os livros e por ter começado a entrar neste mundo da magia.

1 comentário

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.