Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

27
Ago18

Book Store #343

twilight_pr

A Escolhida

A Escolhida.jpg

Autoria de J.R.Ward.

Estava na hora de finalmente pegar no livro da Ward. Desde janeiro de 2017 que estava ansiosa para que o livro saísse logo depois de ter lido A Besta.

Mesmo antes do tão esperado livro temos acompanhado a história de amor entre Layla, a Escolhida, e Xcor o líder do Bando dos Bastardos. Xcor era considerado inimigo do Rei especialmente quando Xcor se virou contra o líder da raça dos vampiros, com intuito de ser ele o líder. Layla entra no meio desta história de guerra bastante confusa com o seu papel de Escolhida. Layla entra dentro da Irmandade para fornecer o seu sangue aos membros da Irmandade que não podem beber sangue das suas companheiras (como por exemplo em Mary, parceira de Rhage, que é humana e que portanto não pode dar o sangue ao Rhage porque não lhe daria sustento, ou então a Jane que é um fantasma). Tudo muda quando numa das batalhas Xcor acaba gravemente ferido e é Layla que lhe ajuda a recuperar oferecendo-lhe o seu sangue. 

A partir desse momento um elo é criado e nem mesmo quando ela descobre que ele é o inimigo as coisas acabam por mudar. Ao longo dos livros onde temos acompanhado a história deles, acabamos por ver a evolução dos personagens. Xcor entende que já não lhe interessa o trono da raça dos vampiros, já não lhe interessa aquela guerra estúpida com a Irmandade Adaga Negra. O que lhe interessa é Layla e que ela esteja realmente bem. Se ela vive com eles, então Xcor apenas os quer deixar onde eles estão. Nesta evolução, vemos realmente que independentemente se eles serem bastardos, Xcor e os seus guerreiros são machos bastante fortes e com grandes valores. 

No entanto, tudo muda quando se descobre os encontros que ambos tiveram ao longo do tempo. Ninguém sabe das mudanças de pensamentos de Xcor e portanto, para todos os efeitos ele era o grande inimigo e para toda a gente, Layla andava a ver o inimigo e isso era considerado traição, mesmo quando lhe tinha sido proibida a sua interação com o outro lado. 

Assim sendo tudo acaba por ficar de pernas para o ar de repente. Layla agora é mãe de duas crias lindas (um casal) e vê-se quase a perder a guarda dos seus bebés por causa dos encontros com Xcor. Qhuinn perde a cabeça quando descobre que ela está interessada em Xcor e que está apaixonada por ele (o Qhuinn a perder a cabeça não é nada que nós já não tenhamos visto) ao ponto de ameaçar matá-la e claro depois de ter magoado completamente Blay enquanto estava num dos seus maus momentos. 

Este é basicamente o enquadramento do livro. Ou seja, um drama total. A raça dos vampiros dividida em dois, Layla literalmente no meio porque ela serve o seu rei, mas está apaixonada pelo líder do Bando dos Bastardos; para piorar ainda mais as coisas é mãe de duas crias cujo pai biológico é membro da Irmandade da Adaga Negra. Para não falar de que a deusa deles morreu, outros personagens não estão assim tão bem como por exemplo Assail com o seu problema com as drogas e claro Trez.

Desde o livro d'Os Sombras que temos acompanhado ainda mais as coisas do Trez e tudo ainda é demasiado recente para eu conseguir realmente pensar com clareza em tudo o que lhe aconteceu e à Selena (eu nem estou a chorar nem nada). No entanto, Ward volta-nos a falar do irmão Sombra que não teve o seu final feliz porque a sua Shellan acabou por ir demasiado cedo para o Vápido (o céu no mundo dos vampiros).

A Escolhida é um livro pequeno comparado com os últimos dois livros que tinham saído da saga, no entanto, cheio de conteúdo e como eu disse, bastante drama. As coisas da Layla, Qhuinn e Blay, Vishous que não atina nem por nada daquele mundo, o Ómega que continua a fazer das suas, a guerra com os Minguantes e ainda o Throe que continua à solta e vai claramente fazer de tudo para conseguir chegar ao trono de Wrath

Quando se lê uma saga tão grande, normalmente uma pessoa tende a perder-se ao longo do tempo. No entanto, Ward continua a surpreender-me e a conseguir puxar-me para cima do acontecimento ao ponto de me lembrar de todos os personagens que apareceram ao longo de todos os livros e independentemente de aparecerem mais ou menos, ela consegue sempre fazer um feedback em todos os personagens de uma forma bastante subtil e eu sinceramente acho que ela faz realmente um bom trabalho.

Ao longo dos livros, as histórias deixam de se basear apenas no romance entre os personagens principais da história, mas começa também a ser a guerra que a raça vampírica está a enfrentar há um bom tempo: porque mais membros dentro da Irmandade revela automaticamente mais métodos para conseguir vencer e ao longo do tempo acabamos por ver mais sobre esse conteúdo do que realmente apenas o romance entre os personagens, o que neste caso acaba por ser muito bom. Porque aí sim... seria bastante drama.

Sendo que o livro é contado quase sempre do ponto de vista de um macho, acho bastante engraçado a forma como o próprio texto está escrito. Diálogos engraçados e bastante descontraídos e uma narrativa coerente e fácil de se ler. O facto de Ward escrever na terceira pessoa o livro ajuda bastante a entender melhor e que este modelo acabe por funcionar bastante bem.

Normalmente vai-se falando dos personagens que terão o seu momento de estrela no próximo livro, no entanto, isso não aconteceu. Se não soubesse quem seriam os protagonistas do próximo livro, dizia literalmente que o próximo seria algo sobre o Vishous e sobre a Jane e pelo facto da relação não estar a 100% porque aquele é o casal que realmente não se vê mais em toda a saga. Bolas até o Rhevenge e a Ehlena se vêem mais ou até mesmo o John e a Xhex. Veremos se este ponto voltará no próximo livro.

Não me querendo alongar mais do que alonguei sobre o livro, continuo a gostar e continua a haver sempre fatores que me surpreendem. É fantástico estar tão embrenhada nesta saga que acabo por saber tão bem as personalidades dos personagens que quase que adivinho o que eles acabarão por fazer! Quando isso acontece e quando a Ward ainda me consegue surpreender, é mesmo porque ela está a fazer um grande trabalho.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    twilight_pr

    28.08.18

    A sério, acho que vais gostar. É das poucas sagas que acontece tudo dentro de tão pouco tempo e consegue sempre surpreender-me!

    Beijinhos <3
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Sobre mim

    foto do autor

    Pesquisar

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.