Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

Attention

«I am the author of my life. Unfortunately, I am writing in pen and can not erase my mistakes.» - Bill Kaulitz

05
Jun18

What I Saw #123

twilight_pr

The Kissing Booth (2018)

The Kissing Booth.jpg

Este filme andava a aparecer em clips no meu feed de instagram e eu já me estava a passar. Porquê? Primeiro porque ele tinha uma voz bastante intensa e depois: era supostamente um romance que nem deveria acontecer. Porquê? Já vou falar sobre isso.

O filme é baseado no livro cujo ainda não li, porque apenas descobri da sua existência após ter visto o livro. Shame on me. Don't worry, I'm working on it. O filme refere Elle, uma rapariga de 16 anos, cujo melhor amigo Lee, nasceu no mesmo dia e à mesma hora que ela. Não são gémeos. Por muito que pudessem ser, mas não o são. Lee e Elle são melhores amigos e nasceram na mesma hora e ambas as mães eram as melhores amigas de sempre, há mais de 20 anos que se davam. Basicamente, eles desde da barriga das próprias mães que se começaram a dar bastante bem.

O enredo do filme é contado no ponto de vista de Elle. Logo no início do filme ela conta tudo o que aconteceu durante aqueles 16 anos tanto na sua vida como na vida de Lee, especialmente porque again eles fazem de tudo juntos. Portanto, era normal que assim fosse. No entanto, aquilo que ela também fala logo no início é exatamente no irmão mais velho de Lee - Noah.

Noah era mais velho que ela um ano, estava já pronto para se ir embora do secundário após aquelas aulas e assim que isso acontecesse acabaria por ir para a faculdade. Noah era o típico playboy que namora com todas, jogador de futebol americano e que adora dar festas. Toda a gente estava paixonada por ele. Elle já convivia com ele desde que nascia, mas após a sua primeira fase da adolescência apareceu aquela crush por ele: acabou por desaparecer, eventualmente. Porquê?

Porque ela e Lee tinham as regras da amizade que tinham criado como eram mais novos e uma delas, era exatamente a regra de que ela não poderia ter qualquer relação amorosa com Noah. Para ela estava tudo bem, especialmente porque ele próprio não falar muito com eles: para Noah, Elle era simplesmente a irritante melhor amiga do seu irmão mais novo que estava constantemente na sua casa.

Ainda não cheguei à parte do porquê de o filme de chamar The Kissing Booth. Basicamente, quem viu o trailer sabe perfeitamente: eles tinham de fazer alguma coisa para angariar fundos para ajudar instituições (isto apenas se sabe no livro). Assim sendo, Lee e Elle acabam por conseguir ter a ideia mais louca de conseguirem criar uma banca dos beijos, cujas pessoas que serão beijadas estariam vendadas. Tentando ao máximo também convencer Noah, porque sendo ele o mais popular da escola, claramente que haveria ainda mais adesão por parte das pessoas em irem à banca criada por Lee e Elle. No entanto, a coisa ficou bastante complicada.

Noah não aceitou, mas após o pedido, já mesmo no dia, de Elle em relação a pelo menos ir lá para beijar uma das raparigas apenas para contruir com o dinheiro para ajudar fundações: tudo acabou por mudar. As "mean girls" do estaminé, repararam que uma das pessoas que vinha a seguir era um rapaz nada popular e elas, como vingança por Elle não ter conseguido trazer Noah, acabaram por inventar uma história e colocaram-na lá na banca pelo menos por aquele momento. No entanto, quem acabou por tomar conta do lugar desse rapaz foi... nada mais nada menos que Noah. 

Elle teve o seu primeiro beijo com ele e a coisa ficou demasiado estranha. Especialmente porque uma das coisas que veio à cabeça, para além de que afinal a sua crush por Noah não tinha terminado era... como é que ela iria contar ao Lee que ela tinha beijado o irmão mais velho dele e dessa forma quebrado quase a regra mais importante para o melhor amigo?

A coisa não fica por aqui claro. Desde todo o filme que se vê a forma como o Noah se comporta ao lado de Elle, não querendo dar mais spoilers do que já dei, vê-se perfeitamente que há qualquer coisa, mesmo que ele acabe por dar a volta e que faça Elle recuar sempre um pouco.

O final é turbulento, mais concretamente o desenlace de tudo. Lee descobre tudo eventualmente e a coisa claramente não fica bonita e uma das coisas que eu mais gostei por acaso do filme é que as coisas simplesmente não se resolveram logo. Lee estava chateado, Elle estava triste e magoada, Noah tinha desaparecido. A coisa estava realmente preta para aqueles lados e nem por isso as coisas acabaram por ser mais rápidas no desenlace, especialmente porque um dos pontos importantes que o filme tenta demonstrar é o facto de que a amizade é realmente muito importante e que tanto a amizade com o amor da vida da pessoa, devem respeitar cada relação que a própria pessoa tem e não deve meter-se simplesmente nela, colocando a pessoa em causa infeliz, especialmente por causa dos ciúmes: como era quase o caso do Lee.

O filme está giro tem a sua parte cómica com Lee e com Elle, tem a parte séria já mais no final especialmente com o desenrolar e da evolução da relação deles os dois. Acho que as coisas estão bem feitas e estou contente por ele me ter sido bombardeado no meu feed de instagram. Contudo, poderiam fazer uma sequela, já que existe uma para o livro, porque com aquele final... eu recuso-me a viver apenas com aquilo!

1 comentário

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.